Somma Blog

Empreendedorismo, Provocações, Informações e Conhecimento

Você sabe o que são soft skills? Quais as mais valorizadas pelas organizações?

Postado por Adriana Ferri em Comprometimento, Desenvolvimento de times, Resultados | setembro 27, 2017 | Deixe seu comentário

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Loading ... Loading ...

Em tempos mais modernos e dinâmicos, nem só de diplomas se faz um bom profissional. Existem algumas características que podem determinar uma chance maior de sucesso.

Houve um tempo em que toda a preparação necessária para um bom desempenho no mercado de trabalho era alcançada com livros e cursos de graduação. A capacidade do empregado era medida pela quantidade de diplomas e certificados conquistados.

Em tempos mais modernos e dinâmicos, nem só de diplomas se faz um bom profissional. Existem algumas características que podem determinar uma chance maior de sucesso.

Devido a esse novo cenário, muitas empresas estão dando mais valor aos chamados soft skills. Mas o que são soft skills?

Para responder o que são soft skills é preciso um olhar para as características inerentes do ser humano. Como diferentes pessoas são capazes de lidar com os desafios do dia a dia e, mais importante, de que forma são capazes de fazer isso.

Pode parecer tratar-se apenas de comportamento. Se as pessoas se comportarem bem diante dos desafios, significa que têm soft skills? Infelizmente, não. Comportamento é uma ação voluntária, que pode ser manipulada ou escondida durante algum tempo. Para definir o que são soft skills precisamos pensar em aptidões, capacidades que podem ser desenvolvidas, embora costumem ser intrínsecas a cada ser humano.

O mercado de trabalho já percebeu as vantagens estratégicas obtidas ao se contar com pessoas com algumas soft skills desenvolvidas. Nesse ponto podemos estabelecer o que são soft skills como as competências sociais e comportamentais mais desejadas pela maioria das empresas.

A seguir, listaremos as 6 soft skills mais valorizadas pelas organizações para que cada um possa fazer uma autoanálise afim de tentar se enquadrar nessas novas expectativas e obter uma importante vantagem competitiva.

Trabalho em equipe

Figurinha fácil em uma entrevista de emprego, a capacidade de trabalhar em equipe é cada vez mais valorizada no mercado de trabalho.

Quando perguntadas sobre sua habilidade em trabalhar com outras pessoas, a maioria dos entrevistados diz não haver problemas com isso, mas é só fazer um teste simples, formando grupos para realizar uma tarefa em comum que os problemas aparecem.

Trabalhar em equipe não se trata apenas de “aturar” outros em um ambiente em comum, mas se preocupar em tornar o trabalho daqueles que estão em volta um pouco mais fácil.

O bom profissional de equipes é aquele que não apenas “faz o seu”, mas cria um ambiente passível de colaboração. É aquele pede e valoriza opiniões, documenta suas tarefas, participa efetivamente das reuniões e divide a culpa quando algo não dá certo.

Aqueles com habilidades mais avançadas são capazes de assumir uma posição natural de liderança quando necessário, mas que também permitem que outros mais capacitados o façam em determinado momento.

Não confundir com o profissional passivo, aquele que aceita tudo com medo de dizer não. Isso não é trabalho em equipe, é falta de autoestima.

Resolução de problemas

Um dos itens mais valorizados pelo mercado quando se pensa o que são soft skills é a capacidade de resolver problemas.

O profissional moderno é aquele que consegue passar pela maioria das dificuldades sem precisar subir o nível hierárquico. É aquela pessoa que sabe negociar um novo prazo, encontrar a peça que falta em outro fornecedor sem transformar isso em um outro problema.

Funcionários limitados realizam suas tarefas rotineiras sem problemas, mas param imediatamente quando entendem que surgiu algo fora do seu círculo normal de atividades. Não são maus funcionários, mas dependem demais de decisões da liderança.

Uma característica muito comum aos que resolvem problemas é a proatividade. Em vez de esperarem uma confirmação de uma liderança ou uma resposta que nunca vem, eles tomam a iniciativa, muitas vezes agilizando e solucionando problemas que há muito incomodavam.

Essa é uma habilidade difícil de ser forçada, pois depende muito do quanto a pessoa está segura de suas ações. Também exige um feeling muito grande para diferenciar a capacidade de antecipação da atitude ruim de querer participar de uma situação em que não deveria.

Atitude Positiva

Algumas pessoas conseguem estragar um ambiente de trabalho apenas pela sua presença. É aquele funcionário que está insatisfeito com tudo, não importa o que a empresa faça.

Mas também existe o oposto dessa pessoa. E não estamos falando de uma pessoa iludida que acredita em tudo, mas num comportamento de quem sabe enxergar oportunidades.

Um talento extremamente reconhecido nos dias de hoje é a atitude positiva. É a capacidade de enxergar uma solução onde outros não enxergam nenhuma. O funcionário com atitude positiva é capaz de engajar toda uma equipe em prol do objetivo em comum, sem necessariamente ser o líder do grupo.

São pessoas capazes de dividir o conhecimento que possuem, dar um conselho ou até uma bronca nos companheiros sem que pareça arrogante. Ao contrário, esses trabalhadores são vistos como sábios e os outros os procuram em busca de conselhos.

Essa talvez seja a característica mais complicada de se desenvolver, uma vez que, se a pessoa não é positiva com a vida em geral, dificilmente ela o será no ambiente corporativo. Não que seja impossível, mas exige um grande esforço.

Gestão do tempo

O tempo é um grande inimigo do profissional moderno. Há tanto a ser feito, tanta informação disponível e tão pouco tempo para realizar tudo.

O bom gestor do tempo é, primeiramente, um priorizador. Se há mais atividades do que tempo disponível, isso significa que algo deverá ser feito mais tarde ou não será feito. A capacidade de fazer essa escolha é a principal característica do gestor de tempo.

Não confundir com o profissional que faz muitas horas extras. Esse é justamente o contrário. Se está fazendo horas extras demais é porque não se organizou adequadamente durante o período de expediente.

Capacidade de comunicação

Todos gostamos de trabalhar com pessoas alegres, simpáticas e que estão sempre de bom humor. Capacidade de comunicação nada tem a ver com isso quando determinamos o que são soft skills.

O profissional que sabe se comunicar é sucinto, mas todo o seu trabalho está claramente registrado e pode ser continuado por outro profissional porque tudo está devidamente documentado.

O bom comunicador avisa com antecedência os problemas que podem ocorrer e não deixa processos parados por falta de informação.

Não confundir com o profissional que manda e-mail para qualquer banalidade. Esse é desorganizado e inseguro.

Capacidade de aprender

Muitos profissionais chegam ao mercado cheios de teorias, certificados e promessas, mas quando surge uma nova demanda, param imediatamente alegando a necessidade por um novo treinamento que, claro, deve ser fornecido pela empresa. Esse dificilmente aprenderá o que são soft skills.

Num mundo em rápida transformação, o funcionário capaz de adquirir novos conhecimentos por conta própria é cada vez mais valorizado. Uma boa base teórica é necessária, mas essas pessoas conseguem aprender novas técnicas com facilidade e utilizá-las no dia a dia de suas funções, ganhando tempo para eles e para a companhia.

Esse tipo de profissional é especialmente valorizando em áreas que lidam diretamente com a tecnologia, já que esta vive em constante evolução, necessitando de profissionais que abracem a mudança.

Agora que você já sabe o que são soft skills e como elas são valorizadas no mercado, já pode se preparar para obter um sucesso maior em sua carreira.

Por Luiz Dias 

Bookmark and Share

Tags: > > > > > > >

Comentários

Deixe o seu comentário